10 Maneiras de cumprimentar as pessoas ao redor do mundo

Uma das questões mais abordadas quando o assunto é cultura, a maneira de cumprimentar outras pessoas muda muito de acordo com o local do mundo, coisas simples e muito utilizadas daqui da américa látina podem soar como uma ofensa para pessoas de outros locais, justamente por isso é tão importante estudarmos e nos prepararmos para esses choques culturais.

Vamos então aprender 10 maneiras de cumprimentar pessoas em países diferentes.

1. Mostrar a língua

Tibete

Tudo começou com monges, que mostravam a língua para mostrar que vieram em paz, sinalizando que não eram a reencarnação de um rei cruel que viveu no século 9, conhecido por ter a língua preta. A tradição acabou pegando e hoje mostrar a língua é um grande sinal de respeito.

2. Encostar o Nariz

Catar, Iêmen, Omã

Ques demonstrar que você enxerga um contato de negócio com bons olhos? Esqueça o aperto de mãos, nesses países a tradição é tocar o nariz por alguns instantes em sinal de respeito. Ninguém sabe exatamente como começou essa tradição, mas o que se sabe é que as pessoas do oriente médio a utilizam a pelo menos 15 séculos.

3. Beijinhos

França, Itália, Portugal, América Latina, Filipinas, Ucrânia e Quebec, Canadá

Cumprimentar as pessoas com um beijinho na bochecha é tradição em praticamente toda a América Latina, já na Europa a tradição pode ser de 2, 3 ou até 4 beijinhos em bochechas alternadas.

4. Esfregar as faces

Nova Zelândia

Se os beijinhos parecerem íntimos demais para o seu gosto, tente o hongi. Essa pressão na testa e no nariz - no que os maoris chamam de "compartilhamento de fôlego" - é pensada como um gesto de boas-vindas, mas é na verdade simbolo de um sagrado acolhimento de um visitante na cultura maori. E é uma honra que não é estendida a todos.

5. Os segredos do Aperto de mão

Botsuana, China, Alemanha, Zâmbia, Ruanda e Oriente Médio

Pode parecer bastante comum, mas um aperto de mão não é tão simples quanto parece quando você está viajando. É mão direita apenas nos países do Oriente Médio, onde a mão esquerda é considerada impura. Também é importante observar que nesses países, os visitantes devem esperar que membros do sexo oposto estendam a mão; se não o fizerem, assente e mantenha as mãos para si. Os visitantes da China vão querer relaxar, e as pessoas que se apresentam aos alemães devem saber parar após um puxão firme para baixo. No Botsuana, as coisas são ainda mais complicadas.. Lá, o aperto de mão local possui várias etapas que devem ser concluídas da seguinte forma: feche as mãos direitas, agite para cima e para baixo uma vez, bloqueie os polegares, levante os braços em um ângulo reto, segure as mãos novamente e solte-os em uma posição relaxada antes de soltando a mão da outra pessoa.

6. Bata palmas

Zimbábue e Moçambique

No Zimbábue, o bater de palmas acontece em um estilo de chamada e resposta - a primeira pessoa bate uma vez e a segunda pessoa duas vezes, em resposta. Apenas tome cuidado com a posição das mãos. Homens batem palmas com os dedos e as palmas das mãos alinhados e mulheres com as mãos inclinadas. No norte de Moçambique, as pessoas também aplaudem, mas três vezes antes de dizerem “moni” (olá).

7. Coloque sua mão em seu coração

Malásia

É muito formal, mas essa saudação tradicional da Malásia tem um sentimento particularmente adorável por trás. Pegue as mãos da pessoa oposta levemente nas suas. Em seguida, solte as mãos da outra pessoa e leve as próprias mãos ao peito e acene levemente para simbolizar a boa vontade e o coração aberto. É educado que a outra pessoa retorne o gesto. Observe que os homens devem esperar que as mulheres locais estendam a mão e, se não o fizerem, um homem deve colocar a mão no peito e dar um leve aceno de cabeça.

8. Reverência aos anciãos

Ásia e África

Em toda a Ásia e África, honrar os mais velhos é uma tradição. Isso significa cumprimentar idosos e idosos perante os mais jovens e sempre usar títulos e termos de respeito específicos da cultura na primeira reunião. Nas Filipinas, os habitantes locais têm uma maneira particularmente única de mostrar reverência. Eles pegam a mão de uma pessoa mais velha e a pressionam suavemente na testa. Na Índia, os moradores locais tocam os pés dos idosos como uma demonstração de respeito. Na Libéria, assim como entre os membros do povo iorubá na Nigéria, os jovens caem de joelhos para honrar os mais velhos.

9. Cheirar rostos

Groenlândia e Tuvalu

Não há nada como o cheiro de alguém que você ama. . . ou alguém que você acabou de conhecer. Na Groenlândia, kunik, a tradição inuit de colocar o nariz e o lábio superior contra a bochecha ou a testa de alguém e cheirar, limita-se a relacionamentos muito próximos. Mas na ilha de Tuvalu, apertar as bochechas e respirar fundo ainda faz parte da tradicional recepção polinésia para os visitantes.

10. Se curvar

Camboja, Índia, Japão, Laos e Tailândia

Quando se trata de se curvar, a questão não é apenas quando, mas também o como. Na Índia, Camboja, Tailândia e Laos, coloque as palmas das mãos na posição de oração no nível do coração ou mais alto antes de se curvar. Na Tailândia, quanto mais alto você colocar as mãos, mais respeito estará demonstrando. Por outro lado, no Japão, quanto mais profundo o arco, mais respeito está sendo mostrado. E 90 graus é o máximo. Apenas lembre-se, sem mãos de oração. No Japão, os homens se curvam com as mãos ao lado e as mulheres com as mãos nas coxas. Ah, e entre as gerações mais jovens, um arco na cabeça (como um aceno de cabeça, mas mais pronunciado) está se tornando a nova norma.

O contraste cultural é sempre muito interessante, e é justamente por isso que sempre temos instrutores estrangeiros em nossas imersões, para que além da questão do idioma, nossa imersão seja rica culturalmente falando. Caso você queira mais informações sobre os instrutores do the fools acesse aqui


Refêrencias: https://www.afar.com/magazine/beyond-the-handshake-how-people-greet-each-other-around-the-world

Postado em 26 de Feb de 2020.

Compartilhe:


Receba novidades

Continue lendo

Saudações ao redor do mundo

Aprenda 7 maneiras (algumas bem inusitadas!) de dizer "olá" em diferentes lugares do mundo.

Ler mais

The history of pancakes / A história da panqueca

Café da manhã e 'brunch' simplesmente não seriam o mesmo sem uma pilha de panquecas servidas com syrup. Quer saber de onde elas vieram? Esse post é pra ti :)

Ler mais